Conseg do 1º DP quer mais operadores para o sistema de vigilância de câmeras

O Conselho de Segurança Comunitária (Conseg), do 1º DP, vai estar solicitando do prefeito Barjas Negri, a amplia;ao no número de pessoas para realizarem o trabalho de monitoramento do sistema de vigilância de câmeras de vídeos, mais conhecido como big brother. É o que informa o presidente do Conseg, Marcelo Abrahão, que esteve na manhã desta quinta-feira, dia 21 de junho, visitando e acompanhando o sistema de vigilância, que funciona no quarto andar do prédio da Biblioteca Municipal, desde 17 de fevereiro.

Da visita, também participaram, pelo Conseg, Fábio dos Santos, Rubens Chieia, Ângelo Carleto, além de Ubiratan Campos do Amaral, diretor do Sindicato dos Bancários; o sargento Padovani e o soldado Alves da PM, que integram a base do 1º DP. O grupo foi recebido pelo encarregado do sistema, Edvan Alves da Silva, que explicou todo seu funcionamento, que hoje conta com 34 câmeras, sendo que mais quatro já estão sendo instaladas.

O grupo elogiou o funcionamento do sistema, mas constatou que o trabalho é bastante estressante e que o número de monitores, aparentemente, é reduzido, diante de todo resultado que oferecem as 38 câmeras. “Há muito recurso para o reduzido número de monitores. Temos que explorar o máximo este sistema, para garantir maior segurança à sociedade”, ressalta Marcelo Abrahão.

De acordo com Marcelo Abrahão, que também é diretor do Sindicato dos Bancários de Piracicaba, o Conseg estará solicitando, também do prefeito, a redução da jornada de trabalho dos operadores do big brother. A alegação é de que o trabalho é muito estressante e para o seu bom funcionamento há necessidade de uma concentração muito grande dos funcionários, uma vez que a observação é fundamental para o sucesso da central.

 

Vanderlei Zampaulo – MTb-20.124

 
Imprimir