.: Incidência de Aids aumenta na terceira idade

Avôs e avós fazem sexo, sim. E se não se prevenirem podem contrair Aids.  De 1998 a 2008, os casos da doença entre pessoas acima de 60 anos no Brasil mais que dobraram, segundo dados de 2010 do Ministério da Saúde. De acordo com a farmacêutica do Cedic (Centro de Doenças Infecto Contagiosas), Adriana Cresta, em Piracicaba 8% da população com mais de 50 anos está diagnosticada com a Aids. As informações são do segundo dia de palestra da Semana da Mulher de autoria do vereador do Partido dos Trabalhadores e presidente do Sindicato dos Bancários de Piracicaba e região, José Antonio Fernandes Paiva.
 
“A Aids foi disseminada entre os homossexuais no fim da década de 70 e década de 80. No início da década de 90, o crescimento de casos de Aids entre as mulheres e da transmissão do HIV de mãe para filho alertou a sociedade. A temática da feminização da epidemia surge como ponto de discussão para ativistas, pesquisadores e técnicos de saúde. Hoje, de acordo com as estimativas da Unaids (Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/Aids), 50% das pessoas infectadas no mundo são mulheres. Porém, atualmente um novo segmento tem chamado atenção, são os casos que têm atingido as pessoas com mais de 50 anos. Em Piracicaba, 8% da população com mais idade está diagnosticada com a doença. O Viagra e outros medicamentos aumentaram a possibilidade de relações sexuais entre os idosos e a falta do preservativo foi um dos fatores que atingiram essa camada da sociedade”, explicou Adriana. 
 
Não há segredo de prevenção contra as DST/Aids. Apenas o uso do preservativo e o diálogo entre os parceiros. “Quando um paciente chega no Cedic o maior preconceito, principalmente em relação a Adis é dele mesmo, pelo fato de se sentir excluído do seu meio”. A Aids nada mais é do que um vírus que é transmitido por meio de relações sexuais.
A transmissão do vírus HIV ocorre pelo sêmen, secreção vaginal, sangue e leite materno. Saliva, lágrimas, suor não transmitem HIV. A transmissão sexual é a de maior ocorrência, 70% entre homens e mulheres no contato sexual, 15% são referentes ao compartilhamento de agulhas e seringas e equipamentos de preparação de drogas por usuários de substâncias injetáveis, pois nos dias atuais não é difícil se deparar com idosos usuários de drogas.
 
Além da Aids, a palestrante tirou dúvidas da plateia e abordou temas como a Sífilis (que ainda não está erradicada no pais e que tem aumentado o número de crianças que nasce com a doença devido às mães que não se tratam. Além disso também houve o aumento dessa doença na terceira idade. Dentro do tema, a palestrante também abordou assuntos como HPV, Alzheimer, Hepatite e Herpes.
 
A segunda palestra do dia abordou os cuidados com os idosos. O assunto foi abordado por Fabiana Oliveira, coordenadora do curso de enfermagem da Enfermap, que explicou que em junho de 2012, o trabalho de cuidador foi reconhecida como profissão. Ela falou sobre os cuidados e todas as adaptações que precisam ser feitas na casa de um idoso para evitar quedas e outros tipos de traumas nos idosos.
 
Maria Claret da Silva, coordenadora do Cesm (Centro de Especialidade da Saúde da Mulher) também ministrou palestra ontem e falou sobre o processo e envelhecimento da mulher e todas as precauções que devem ser feitas durante a vida de uma mulher para que esse processo seja o mais natural possível. “O envelhecimento é uma progressão, que se inicia desde o nascimento ao decorrer da vida. Hoje, o Brasil tem 14,5 milhões de idosos, o que representa 8,5% da população brasileira, e a mulher vive cerca de oito anos a mais que o homem. De casa 100 crianças, existem 25 idosos. Em 2050 a previsão é que esse número seja para cada 100 crianças existam 175 idosos. É preciso investir em estudos e em pesquisas para oferecer uma melhor qualidade de vida na terceira idade”, salientou.
 
A Semana da Mulher vai até sexta-feira, 8 de março. Hoje, dia 6, acontece a abertura da exposição de fotografia em homenagem a mulher, na sede do Sindicato dos Bancários de Piracicaba e região, a partir das 19h. O ciclo de palestras retorna amanhã, dia 7, quando a deputada federal Keiko Ota falará sobre Educação e Segurança com ênfase na Violência contra a Mulher, a partir das 13h30, no Salão Nobre da Câmara de Vereadores.

 
Fernanda Moraes (28.535)
Sindicato dos Bancários de Piracicaba e região

 

Youtube

Enviar e-mail para amigo
X



Captcha:
O link da notícia será enviado automaticamente
Reportar erro!
X
Se você encontrou erro neste texto ou nesta página, por favor preencha os campos abaixo.
O link da notícia será enviado automaticamente




Captcha:
Menu
Enviar e-mail para amigo
X



Captcha:
O link da notícia será enviado automaticamente